Jorge Jesus elogia intensidade em estreia pelo Flamengo, mas alega: “Não saio satisfeito com empate”

Ajude-nos compartilhando com seus amigos

Depois de três semanas de trabalho, Jorge Jesus estreou pelo Flamengo na noite desta quarta-feira em um jogo para lá de complicado contra o Athletico-PR na Arena da Baixada. O Rubro-Negro carioca passou sufoco, mas arrancou um empate por 1 a 1 pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil (veja os lances no vídeo abaixo). Na entrevista coletiva após a partida, o técnico português alegou que não saiu satisfeito, mas admitiu que o resultado foi melhor para sua equipe: – Não saio satisfeito com o empate, mas na primeira parte da eliminatória é um resultado que serve mais ao Flamengo. Viemos com uma ideia de jogo para poder disputar aqui e ganhar. Adotamos um sistema de jogo com muita autoridade e focado nas saídas do Bruno (Henrique) e do Gabi (Gabigol). Falta ainda um jogo e teoricamente foi um resultado melhor para o Flamengo. Melhores momentos de Athletico-PR 1 x 1 Flamengo pelas quartas de final da Copa do Brasil Flamengo e Athletico-PR voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, valendo vaga na semifinal da Copa do Brasil. Como não tem gol qualificado, quem vencer fica com a vaga. Se acontecer um novo empate por qualquer placar, a decisão será nos pênaltis.

Confira outros tópicos da coletiva:

O JOGO– Foi um jogo com uma intensidade muito alta, equipes com velocidade de jogo enorme. A grama sintética permite que o jogo tenha uma velocidade onde o gramado não tem. Foi um jogo bem jogado técnica e taticamente pelas duas equipes. No âmbito defensivo não foi fácil. O Athletico é um time que trabalha há vários anos. Tivemos dificuldade de segurar o lateral-esquerdo no início. Todas as marcações do árbitro foram bem assinaladas e quero dar os parabéns para equipe de arbitragem. ARBITRAGEM– Todas as decisões importantes do jogo o árbitro teve decisões que já vi (na TV). Não tenho conhecimento dessa jogada sobre o Diego Alves. Lembro dela, mas não tenho uma opinião para responder a pergunta. LINHAS ALTAS– Temos uma ideia de jogo defensivo onde as linhas jogam muito próximas. Mas querer é uma coisa, fazer é outra. Já passamos a ideia, trabalhamos em cima disso. E hoje esteve mais ou menos. Não esteve perfeita. A segunda linha não trabalhou muito bem. Mas se vocês perceberem porque três gols do Athletico foram invalidados, foi exatamente por esse posicionamento da última linha. ENCENAÇÃO DE GABIGOL– É uma pergunta pertinente e inteligente. Mas é isso. Temos que saber respeitar uns aos outros e respeitar o público, que ver o justo do jogo. E foi o que se viu com o VAR, que está a valorizar mais as verdades esportivas e que o jogo não seja interrompido. Vou fazer meu trabalho com os jogadores. ARÃO DE PRIMEIRO VOLANTE– O princípio do Arão sempre foi ser um primeiro volante e com o tempo foi avançando. Temos que ver o que é um primeiro e um segundo volante em características individuais, e o vejo como primeiro volante. Faz as duas funções. É um jogo com a intensidade e a característica muito alta. Jorge Jesus em sua primeira coletiva pós-jogo no Flamengo — Foto: Cahê Mota EQUIPE COM A CARA DE JORGE JESUS– A equipe se comportou bem. O adversário soube valorizar a atuação, é uma equipe muito difícil de parar e com o futebol muito agressivo. Joga no limite do risco, tem uma ideia de jogo muito bem trabalhada e só quem defende bem pode chegar ao fim com 1 x 1. E foi um gol em bola parada, onde geralmente minhas equipes se comportam bem. DIEGO E EVERTON RIBEIRO– Foi pela forma do sistema que íamos apresentar neste jogo. O Lucho é um jogador que joga muito bem entre as linhas e precisava fechar. O Diego ficou muito tempo sem jogar, o Éverton Ribeiro também ficou muito tempo sem jogar. Conversei com eles e falei que ia preparar para jogar durante o jogo. INTENSIDADE– O Athletico nos obrigou a ter uma intensidade muito alta e gostei do que vi. A intensidade da equipe até mais defensiva do ofensiva nos mostrou. AGITAÇÃO DURANTE O JOGO– É minha forma de estar no jogo. Eu acho que antecipo as coisas dela acontecer. Na tentativa da ideia que tenho da equipe, com e sem a bola, é tentar que os jogadores estejam sempre bem posicionados. É a maneira de ajudar para que todos os jogadores estejam ajustados como treinamos. TEMPO PARA EVOLUIR– Não há espaço, só há espaço para recuperar. Mas vamos trabalhar mesmo não tendo muito tempo.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/jesus-elogia-intensidade-na-estreia-pelo-flamengo-e-apito-quero-dar-parabens-para-a-arbitragem.ghtml

Ajude-nos compartilhando com seus amigos