Após infarto em audiência da Lava-Jato, herdeiro da OAS faz cirurgia e segue estável

Ajude-nos compartilhando com seus amigos

BRASÍLIA – Após
sofrer um infarto
na segunda-feira durante audiência na tarde de ontem na 13ª Vara Federal de Curitiba, o herdeiro da
OAS
Cesar Mata Pires Filho
, 41 anos, foi submetido a um procedimento cirúrgico ainda na noite de ontem e tem estado de saúde estável.

De acordo com fontes que o acompanharam no hospital, Cesar Filho foi submetido á implantação de dois stents, uma espécie de endoprótese usada para desobstruir artérias. A operação foi bem-sucedida. Após a cirurgia, ele segue em observação em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

Cesar Filho passou mal durante interrogatório feito pelo juiz federal Luiz Antônio Bonat. Ele é réu em uma ação penal na qual é acusado pelo Ministério Público Federal de ter ciência dos pagamentos de propina da OAS a agentes públicos e a operadores do PT na construção de um prédio da Petrobras em Salvador. Chegou a ser preso no fim do ano passado, mas foi solto após pagar uma fiança de R$ 28 milhões.

O empresário é filho de César Mata Pires, um dos fundadores da OAS. Seu pai morreu em 2017, aos 67 anos, vítima de um infarto fulminante.

Diante do ocorrido, o juiz Luiz Antônio Bonat deixou a audiência correndo para buscar um médico plantonista da Justiça Federal, que deu o primeiro atendimento. Em seguida, uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegou para dar continuidade ao atendimento de urgência e o transportou, de ambulância, para o Hospital Santa Cruz.

Boletim médico das 20h30 de ontem divulgado pelo hospital, sob autorização de familiares de Cesar Filho, registrou que não havia previsão de alta. “Paciente atendido no pronto socorro do Hospital Santa Cruz, em Curitiba, recebendo atendimento e condutas médicas e onde permanecerá internado sob cuidados, sem previsão de alta”, informou o boletim.

Foto Anterior

Proxima Foto

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) teria recebido caixa dois no valor R$ 1,2 milhão para sua campanha de 2014, via contrato fictício e pagamento de “vantagem indevida” de R$ 3 milhões via doações oficiais em 2014. A defesa diz que ‘acusações são falsas’ e doações estão todas registradas na Justiça Eleitoral Foto: Andressa Anholete / AFP

O ex-senador Edison Lobão (MDB-MA) teria recebido propina de R$ 2,1 milhões por obras de Belo Monte. Ele nega irregularidades e critica delações sem prova Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (MDB-RJ) teria recebido propina de R$ 29,6 milhões referente a percebentual de obras da OAS. A defesa do ex-parlamentar ‘nega veementemente a acusação’ Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

Ex-prefeito do Rio (DEM-RJ), Eduardo Paes teria recebido caixa dois de R$ 25 milhões para sua campanha à Prefeitura em 2012. A defesa diz que contas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral e jamais favoreceu empresas Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo

O ex-presidente do Senado teria recebido caixa dois de R$ 2 milhões para sua campanha ao governo do Ceará em 2014. Defesa diz que OAS fez doações legais e registradas nesse exato valor Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

Ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT-MG) teria recebido propina de R$ 2,5 milhões através de seu operador Bené, quando ele era ministro do governo Dilma. A defesa diz que desconhece as acusações Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

O ex-senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) teria recebido caixa dois de R$ 150 mil para sua campanha eleitoral ao Senado em 2010. A defesa não respondeu Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

Ex-ministro, Geddel Vieira Lima (MDB-BA) teria firmado um contrato fictício de R$ 30 mil com uma empresa de publicidade para manutenção do seu site. A defesa não se pronunciou Foto: Jorge William / Agência O Globo

Ex-deputado, Índio da Costa (PSD-RJ) teria recebido repasses de ‘valores espúrios’ de R$ 1 milhão para sua campanha em 2010. Ex-parlamentar diz desconhecer os pagamentos Foto: Marcelo Theobald / Agência O Globo

O senador Jaques Wagner (PT-BA) teria recebido propina de R$ 1 milhão via contrato fictício e repasses de caixa dois. A defesa diz que não comentará delação que não teve acesso Foto: Heuler Andrey / AFP

Ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli (PT-BA) teria recebido mesada de R$ 10 mil durante o ano de 2013. A defesa nega a acusação e diz que ele desconhece o delator Foto: Fábio Rossi / Agência O Globo

São Paulo (SP), 09/10/2017 – Senador José Serra (PSDB/SP) e o ministro Gilmar Mendes. Seminário sobre reforma política na Faculdade de Direito IDP SP, com a presença do ministro Gilmar Mendes. Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena / Agência O Globo Foto: Aloisio Mauricio / Agência O Globo

Ex-senador, Lindbergh Farias (PT-RJ) teria recebido pagamento de R$ 400 mil para serviços do publicitário João Santara. Defesa não se manifestou Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

Ex-presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS) teria recebido caixa dois de R$ 1 milhão para campanha eleitoral de 2014. Defesa do ex-parlamentar diz que vai se pronunciar apenas nos autos Foto: André Coelho / Agência O Globo

Deputado federal, Marcelo Nilo (PSB-BA) teria recebido propina de R$ 400 mil em 2012 e outros repasses em 2013. Defesa nega acusação e diz desconhecer relator Foto: Divulgação

Nelson Pelegrino (PT-BA), deputado federal, teria recebido caixa dois de R$ 1 milhão em campanha à Prefeitura de Salvador em 2012. Defesa afirma que desconhece a delação Foto: Reprodução/Agência Câmara

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) teria recebido caixa dois de R$ 50 mil em campanha à Prefeitura do Rio em 2012. Defesa do parlamentar diz que doações foram declaradas à Justiça e nega favorecimento a empresários durante mandato Foto: Jorge William / Agência O Globo

Ex-governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (PP-RN) teria recebido caixa dois de R$ 16 milhões proveniente da obra da Arena das Dunas. Ela disse ‘desconhecer qualquer transação nesse sentido com a OAS’ Foto: Reprodução/EBC

O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (MDB-RJ) teria recebido caixa dois de R$ 10 milhões em sua campanha ao governo do Rio em 2010. Defesa diz que não vai comentar Foto: Theo Marques / Agência O Globo

Ex-deputado, Valdemar Costa Neto (PR) teria recebido propina de R$ 700 mil das obras da Ferrovia Oeste-Leste. Defesa diz que desconhece a delação Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

O ministro do TCU, Vital do Rego, teria recebido propina de R$ 3 milhões à sua campanha eleitoral em 2014 em troca de blindagem na CPMI da Petrobras. Defesa diz que não teve acesso à delação e que não recebeu doações irregulares Foto: Ailton de Freitas / Agência O Globo

A audiência do caso foi cancelada e o juiz remarcou uma nova para o mês de setembro. O juiz também determinou que o vídeo do depoimento de Cesar Filho não fosse juntado ao processo.

Fonte: https://oglobo.globo.com/brasil/apos-infarto-em-audiencia-da-lava-jato-herdeiro-da-oas-faz-cirurgia-segue-estavel-23794023

Ajude-nos compartilhando com seus amigos